dia-da-espiga

à escuta em: dia.da.espiga@gmail.com

14.9.07

O Estrangeiro

Nem O Idiota, nem O Processo produziram o efeito que este livro de Albert Camus teve sobre mim (não, isto não é uma entrada na polémica dos livros mudarem ou não a nossa vida...). Simplesmente, a clareza da escrita e da exposição do ser absurdo contribuíram de uma maneira diferente para que fizesse a paz com a compreensão do que se vai passando à minha volta. Confuso, eu sei.
A verdade é que, durante toda a semana que me levou a sua leitura, estive pensativa. Faz sentido: não é a nossa sociedade hoje mais absurda do que nunca?

4 Comments:

  • At 14/9/07 16:46, Anonymous Rita said…

    Se não é, parece! A meu ver as pessoas são cada vez mais egocêntricas, logo muitas acções só fazem sentido para as próprias e isso torna a sociedade globalmente absurda!

     
  • At 15/9/07 01:32, Blogger triss said…

    Por momentos pensei que tinhas lido "A Peste" (não arranjo coragem). E que tal "O Processo"?

     
  • At 15/9/07 13:35, Blogger dia-da-espiga said…

    A ideia é essa, Rita, mas também se discute na obra se a sociedade não é toda ela absurda: por um lado, todos vamos morrer (ponto), por outro, que sentido faz respeitar as regras de uma sociedade que convive pacificamente com tanto mal? Ideia perversa...
    O Processo tem um toque de humor desconcertante e a trama, a mim, causou sobretudo irritação. É muito estranho. Li que Orson Welles adaptou ao cinema, gostava de encontrar o filme...

     
  • At 17/9/07 11:02, Blogger mãe de dois said…

    Nem de propósito, tens um desfio no meu blog.

     

Enviar um comentário

<< Home