dia-da-espiga

à escuta em: dia.da.espiga@gmail.com

26.8.14

As minhas fotos

Anos a tirar selfies, simplesmente porque a viajar sozinha uma pessoa tem de se desenrascar. Depois porque os retratos até ficavam bem. Agora não quero, já não posso ver aquilo, passo a máquina e faço pose.

8.8.14

Quero a praia

Quero os dias quentes à noite da infância, sem as melgas e com vinho branco geladinho.

29.5.14

Este dia do nome

Olá, Espiga. Uma das avós do último post já morreu. Nasceram duas bisnetas dela, uma das quais a minha filha. O mundo continua, com o clima mudado e o dinheiro aos comandos. Vivemos com medo e cansados, mas continuamos a caminhar, às vezes a correr para o futuro, a antecipar a tranquilidade de pequenas missões cumpridas. Continuo a celebrar a Primavera do pão e das flores, de vez em quando.

3.4.13

Uns dias depois

A Páscoa já não são seis horas de caminho entre a saída de madrugada e o bacalhau cozido intragável da avó. Aliás, a avó já não está desplicentemente à nossa espera na Casa Nova, está num lar ultra-confortável e asséptico onde acena e faz meios sorrisos e não percebemos se se dá conta que vai ser bisavó outra vez. No fim de semana passado éramos quatro a caminho de uma casa onde se come e dorme bem - o que não é pouco - e onde ainda encontramos a outra avó/bisavó ao lume. Os pais/avós fervilham, não sabemos por quanto tempo terão aquela energia, portanto é aproveitá-la, mesmo que nos dê cabo dos nervos. Voltámos a cheirar a lume tanto por fora como por dentro.

15.6.12

A crise vista em modo técnico "ma non troppo"

Resumindo: os alemães vão ter de comprar as salsichas mais caras para nós não termos cortes salariais mais fortes. Será?

Uma mulher casada não tem de ter necessariamente um blog sobre vida de mulher casada

Por isso, queria aqui falar de bola.
De como eu gosto do jogo e não gosto de o ver transformado em negócio, por exemplo. Ou de como não tem nada a ver com esquecer a crise.
Uma mulher casada pode falar da crise num blogue sem ser na perspectiva do cabaz de compras lá de casa? A resposta vem já a seguir.

4.1.12

Balanço do Ano

Um top original: 5 momentos gastronómicos de 2011!
  • Leite Creme (XL)
  • Navalheira (Modesto)
  • Sushi specials (Bonsai)
  • Pescada fresca cozida (chef pessoal lá de casa)
  • Rabo de boi estufado (idem)

Para não estragar muito a tradição, ficam também o momento musical ao vivo do ano e o ponto alto cinéfilo e não se fala mais nisso...


9.12.11

Dia claro

Um dia de nevoeiro, frio como o Inverno lisboeta (frio) em que eu queria ter ficado a dormir mas estou aqui, furiosamente a produzir e feliz. Tudo está claro. O contraditório que eu cultivo cabe e eu tenho a minha dose. No próximo ano faço 18 ou 21, dependendo do país em que queira situar a idade adulta. Coincide com o meio de uma vida abaixo da média ou da vida acima da média com qualidade. Faz sentido sem ser irritante.
Bliss.

20.10.11

Só me ocorre esta

3.8.11

As Caixas

Tenho um novo parceiro de vinhos. Acumula esta função com a de companheiro de vida. Vamos receber 3 caixas de uma só vez. Além disso, temos uma casa em comum para construir, um compromisso de futuro para celebrar e o dia-a-dia para viver. Não vou ter tempo para fotografar todas as garrafas. Também não tenho tido tempo para escrever aqui. Tal como os bons amigos, este espaço permanece. Os vinhos têm sido saboreados com prazer e vagar, mas acabei-lhes com a estatística, tal e qual como vou acabar com os meus cálculos de probabilidades de felicidade.